interceptor

Novas mensagens, análises etc. irão se concentrar a partir de agora em interceptor.
O presente blog, Geografia Conservadora servirá mais como arquivo e registro de rascunhos.
a.h

Tuesday, August 21, 2007

Guerrilha rural brasileira monta arsenal



20 de agosto de 2007
O presidente se desmascara diante da sociedade consciente e ordeira, provê de recursos e manipula seu "Taleban", usado como movimentode pressão psicopolítica para conquistar apoio ao famigerado 3o.mandato, a desgraça da Nação.




Do Observatório de Inteligência

Por Orion Alencastro

A força nacional de guerrilha rural denominada MST e seus congregados movimentos orientados, doutrinados e treinados em armas brancas e de fogo por proselitistas, professores, instrutores externos, notadamente das FARC, e ex-estagiários em Cuba, teriam disponíveis em território nacional o equivalente a 180 mil armas, com predominância de fuzis de procedência estrangeira, novos e usados, em bom estado de conservação.
FARC: fazenda-escola aserviço do ditador HugoChávez.
O conhecimento do estimado arsenal disponível é parte de informações e avaliações integradas de serviços secretos do exterior, em operação na América Latina e desenvolvendo trabalho de campo especialmente no Brasil. O fato reforça a matéria publicada neste site, em 1 de agosto, intitulada "Movimentos sociais: Taleban do Palácio e do PT contra vaias e marchas", que apontou o “Taleban tupiniquim” do governo que não condena o terrorismo, tolera o contrabando de armas e o permanente narcotráfico, tudo parte de organizações subterrâneas de sustentação da esquerda no Brasil e na América Latina.
"A guarda do armamento e munições obedeceria rigorosa instrução passada a seleto grupo dos "pretensiosos guerrilheiros" e estaria acondicionada em instalações subterrâneas, distribuídas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul. A propósito, na operação de desocupação de propriedades invadidas, sob cumprimento de mandado judicial, as Polícias Militares não costumam dar buscas e nem revistam os retirantes e veículos à procura de armas, como vimos recentemente no oeste do Paraná.
O material bélico - armas, munições e artefatos - foi introduzido no país em lotes, via aérea e pelos caminhos da Tríplice Fronteira, e contou com a cobertura de agentes que aparelham o quadro de servidores dos ministérios e organismos vinculados às questões agrárias e trabalho, os mesmos que estimulam e protegem dissimuladamente as operações de invasões e ocupações de propriedades e os eventos congressuais do MST e similares.
Os recursos financeiros para a aquisição seriam procedentes de aportes oficiais, doações do exterior e do narcoterrorismo da América Latina. Os serviços secretos admitem que o Governo brasileiro é e será o grande responsável pelo fomento da guerrilha rural e suas ligações com outros movimentos deliberadamente marxistas revolucionários que estariam conduzindo o país para um conflito civil, fato este já conhecido da Presidência da República, sob o estímulo do presidente venezuelano Hugo Chávez. O comandante revolucionário da América Latina está, no momento, interessado em ser o interlocutor com as FARC na liberação de seus sequestrados, angariando as atenções da diplomacia e da mídia mundial.
Nelson Jobim faz da Anac e Infraeroseu desjejum, resta-lhe estar pre-parado para as audácias de movi-mentos sociais e ameaças à PazSocial, com inferências externas detoda ordem. O ministro, como juris-dicista, não quer tomar conheci-mento de que o adversário está noGoverno, no próprio Palácio doPlanalto.
Vaticano se acautela contra MST
A cúria romana, na sua visão global dos problemas agrários nas distintas regiões do planeta, acompanha com cautela a orientação do MST e não deseja envolvimento da Comissão Pastoral da Terra, vinculada à Igreja Católica, com eventuais acenos de radicalização nas questões do campo. Observa-se que a Pastoral da Terra se afasta do MST que se alinha no cumprimento de estratégias dissimuladas com o Palácio do Planalto, provedor de recursos para a movimentação organizacional na educação e formação de seus quadros, desde tenra idade. (OI/Brasil acima de tudo)

2 comments:

Anonymous said...

vc soh pode estar louco...

Eu participei de um acentamento no ano passado e o MST proibe qualquer posse de armas pelos seus integrantes. No mais, os grande fazendeiros oligarcas possuem uma expecie de exercito particular, esses sim extremamente armados.

Eh soh lembrar-mos de El Dorado, Carajas. E pelo que eu sei, nunca ninguem de uma ocupacao assassinou um fazendeiro. Mas o contrario jah aconteceu.

a.h said...

uma pequena loucura cura
até o rei da singapura
louvado seja o palhaço
cuja prebenda - sinecura
arcipreste como ver dura
dono de direito e fato


Emily Dickinson

Pois entá tá, "corajoso anônimo"... Procure nos arquivos de jornais e revistas e verá que há lideranças do MST envolvidas com assassinatos por disputas por terra, sim senhor. Bem como com tortura: famílias espancadas e que tiveram que fugir para não serem mortas.

Há mais... ano passado, na invasão que sofreu a fazenda Coqueiros no RS, os facínoras incendiaram um caminhão, destruíram as plantações, deixaram garrafas de cachaça vazias espalhadas pelo pasto e, só por prazer, cortaram os tendões das patas traseiras de um novilho.

Em qualquer país sério, caro canalha, gente da tua laia (se é que faz parte desta corja) seria tratada como deve: como caso de polícia.

(Cf. mais em: http://www.institutomillenium.org/index3.php?on=artigo&in=assunto&artigo_id=409)

Quanto a Eldorado de Carajás, basta assistir ao vídeo para ver de quem parte o primeiro tiro. Claro que o militante, covarde como é característico de sua horda, atira lá de trás (veja a fumaça no vídeo). E quem se lança sobre a polícia são os mais jovens colocados à frente (pura massa de manobra).

O que caracterizou "massacre" foi o fato de ter militantes com tiros pelas costas. A polícia deveria ter atirado só para se defender e não para executar.

Então, fale menos besteira e saia do casulo acadêmico em que secaste teu cérebro, caro idiota.

Post a Comment